segunda-feira, 23 de junho de 2008

VOA



Deixa que o meu olhar te persiga...
Deixa que a minha alma te encontre...
Deixa que as tuas asas me ensinem,
A força com que enfrentas a tempestade,
A paz com que deslizas sobre a espuma do mar... e deixa...
Deixa-te voar...
Voa ...
Voa bem alto...
Voa...
Voa até onde ninguém te alcance...
Voa até onde ninguém te prenda...
Voa até onde só tu sabes...
Voa...
Voa bem alto...
Voa...
E é nesse teu voar que me inspiro...
Nessas asas que me solto...
Nessa força que me prendo...
Nessa ousadia que me rendo...
Voa...
Voa bem alto...
Voa...
e leva-me...

1 comentário:

carlos disse...

Para onde queres tu voar....piriquita sonhadora com cheiro a cravo!? Que mudanças aspiras fugidia nocturna que precisa sorver a magia das coisas e das pessoas como identificação da alma....!!!????